Pensamentos líquidos 19

Ian Thorpe

Dizem que foi talvez um dos melhores nadadores de sempre. É sempre muito ingrato fazer comparações inter-temporais (aliás, qualquer comparação é sempre muito relativa); mas eu era capaz de dizer que ele é o nadador mais fantástico de todos os tempos e conseguia viver com isso. Por um lado, sinto-me suficientemente isenta para o fazer: crawl sempre foi o meu estilo non grato, sempre gostei de distâncias curtas; as provas fundamentais do Ian eram os 200m e 400m livres (se quiserem, os 800m livres, e dava uma pernadinha e uma braçadazinha nos 100m). Por outro, ele revolucionou a natação a partir dos 200m. Vaporizou os anteriores records mundiais. Para quem costuma ver natação, lembram-se de alguém com uma pernada tão metronímica como a dele? A sua técnica de crawl é irrepreensível. Era capaz de passar horas a vê-lo nadar e aprender sempre.

Se calhar estas comparações nem interessam. Mas o mérito interessa. E o mérito do Ian não precisa de ser publicitado por mim, esteve em evidência sempre que nadou.

A decisão de se retirar aos 24 anos é, inevitavelmente, respeitável e legítima, mas sinto já falta dele no bloco da pista 4 em Pequim.


Não é talvez o post certo para isso, mas tenho vontade de o fazer. Por isso fica aqui a provocaçãozinha. Este rapaz vaporizava records mundiais e as parangonas dos jornais desportivos portugueses tinham inevitavelmente os jogos de bastidores do futebol e as nódoas negras dos jogadores.

Prioridades.

1 comentário:

Xana disse...

É com grande pena que o vejo abandonar a natação e sei perfeitamente o que isso custa (é muito doloroso deixar de cheirar a cloro todos os dias, mas também percebo que há que fazer escolhas porque alta competição é muito exigente, requer demasiados sacríficios que só uma grande força de vontade suporta). E ainda mais pena sentirei por não ver as pistas 4 e 5 ocupadas pelo Ian e pelo Phelps. Como preferia nadar meio fundo e também porque as minhas pernas batiam pouquinho :) a minha admiração por alguém, no mundo da natação, caía em parte no Ian Thorpe, e é por isso que me entristeço ao vê-lo abandonar a alta competição.